Cordéis ambientais e muito mais....

Caros leitores do site Teatro de Cordel, com muita alegria e entusiasmo apresento as belíssimas estrofes feitas por meus alunos em apenas 03 encontros na Biblioteca Belmonte de Cultura Popular no mês de junho de 2009. Espero que gostem como eu gostei.
Alegrias, sempre!
César

 

Estrofes de Clara Marques

SEXTILHA:

Hoje em dia todos falam
Mas a maior parte mente
O que fala a verdade
É taxado diferente
É importante preservar
Nossa casa, o ambiente

SETILHA:

Mês de junho está chegando
E começa minha sina
Preparar o arraial
Pro menino e pra menina
Milho, pipoca e quentão
Vai ter uma multidão
Na minha festa junina

OITAVA:

Todo dia geralmente 
Olho a vida tão contente
Logo vem a minha mente
As imagens do serrado
Parece tão acabado
Mas veja só o juazeiro
Que refresca como o ribeiro
O meu sertão tão amado

 

Estrofes de Suely Aparecida Schraner

O Obeid é genial!
Celebra com maestria
A oficina é muito boa
Um adeus à elegia
Tudo vibra com leveza
Promovendo a alegria

Por fim, estudo era Décima
Nesse dia tão festivo
Saúde e ambiente
Um motivo decisivo
Tudo muito consciente
E sendo objetivo:


Pra se ter muito mais pão
E viver melhor também
Recicle tudo que tem.
Pode dar um trabalhão
Faça o seu coração
Dar o ponto de partida
Pra se ter bem mais guarida
Melhorando esse ambiente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

Gastar e fazer direito
Reciclar melhor também
Ao planeta querer bem
Por um mundo mais perfeito
Vivendo bem desse jeito
Nessa terra tão querida
Melhor ponto de partida
De tratar o ambiente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

Essa está publicada no www.vivasp.com:

Labuta infantil


Por: Suely Aparecida Schraner

Menininha na olaria
Seis aninhos na soalheira
Em cima do caminhão
Ajeitando a tijoleira
Adobe quente na mão
A vida uma trabalheira

Ajuda o pai e a mãe
Passa o dia veja só
Trabalho de gente grande
Tão cansada que faz dó
De noite depois da lida
A mão uma bolha só

Labuta tanto e então
O pai lhe fala bobeira
Diz que é bom pr′uma menina
Ser também a cozinheira
′Quero isso não, paizinho′
Prefiro mais ser oleira

Dorme e sonha que um dia
Virá a fada madrinha
Salva ela desta faina
Lhe traz uma bonequinha
Ri alto, brinca e acorda
Levanta e vai pra cozinha

De volta pra olaria
Vai pensando e vai contente
Sonha ser menina grande
Ser tratada como gente
Ver o dia de findar
As agruras do batente

12 Junho dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil

 

Junina
 Jogou a pipa pro ar
Sem contar como empina
O cerol passou no moço
Alterou sua rotina
Foi preso, pagou o preço
Ficou triste, sem apreço
Perdeu a festa junina

Oficina
 Que bacana é o cordel
Estamos numa oficina
César ensinou pra gente
Rimar sina com menina
Isto é bem divertido
Faz saber ser invertido
Conta muito e ilumina

Oitava

Mente
Cuida bem da sua mente
Faz plantar uma semente
Mesmo num sol inclemente
Cultivar é bem lembrado
Faz o homem bem amado
Encontrar a sintonia
Ter muito mais simpatia
Num planeta bem cuidado.

Décima (em 24.06.09)

Um consumo consciente salvaria nossa vida

Pra se ter muito mais pão
E viver melhor também
Recicle tudo que tem
Pode dar um trabalhão
Faça o seu coração
Dar o ponto de partida
Pra se ter bem mais guarida
Melhorando o ambiente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

Gastar e fazer direito
Reciclar melhor também
Ao planeta querer bem
Por um mundo mais perfeito
Vivendo bem desse jeito
Nessa terra tão querida
Melhor ponto de partida
De tratar o ambiente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

Guardar pra quê, se não serve?

É hora de melhorar
E fazer alguém contente
Tornar leve sua mente
E também de reciclar
O espaço ampliar
Reduzir o que convém
Reutilizar também
Superar o que está feito
Renovar é um direito
Guardar pra quê, se não serve?

Na Ciranda (em 30.07.09)

De guerreiro e de mestre
Tem de tudo em nossa gente
Nem precisa ser tão doido
Pra cuidar deste ambiente
Reduzir tudo é possível
Com consumo consciente

Um visionário recicla
Nem precisa ser guerreiro
Curador é necessário
Mesmo se não tem dinheiro
Reutilizar se pode
Faz saúde no terreiro

Para alguns é feiticeiro
Para outros, ecológico
Harmonia em todo espaço
Ser humano também lógico
Vai tratando seu planeta
Analisa o patológico
Terra, água fogo e ar
Nossos quatro elementos

Até breve, Abraços,
Suely Aparecida Schraner
e.mail:cgestorveleiros@gmail.com
twitter.com/cgestor

Estrofes de Elen de Cassia Barreto

Em um tempo já passado
Quando ainda era menina
Lá pelo meio da noite
Eu jogava Serpentina
Ansiosa a esperar
O grande dia Chegar
A nossa festa junina

Em um dia diferente
Encontrei toda contente
Uma criança inocente
A dizer estou cansado
Hoje eu treinei pesado
E com muita emoção
Para na competição
Eu não ser bem derrotado

Para nossa salvação
Temos que ter consciência
Nossa terra tem urgência
Para achar a solução
Faça o seu coração
Encontrar uma saída
Pra essa terra tão querida
Vamos mudar minha gente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

Nesse tempo de urgência
Onde tudo é tão depressa
Galera a idéia é essa
Estado de emergência
A terra e sua inocência
Nessa vida tão corrida
A mãe terra esta sentida
Traga isso sempre em mente
Um consumo consciente
Salvaria nossa vida

-----------------

EStrofes de Lucas Lima dos Santos

Sextilhas -

Pensamento


Devagar eu caminhava
Com o pensamento em mente
Gostaria de fazer
Uma coisa diferente
Para lembrar as pessoas
Que elas são o meio ambiente

Septilhas

Canção da ciranda

Todos formando a ciranda
Eu dançando com a menina
Cada par cantarolando
Como canta a Karina?
Nessa festa colorida
Toda a garotada unida
Essa é a festa junina

Oitava

Passeata

Vamos todos minha gente
Porque estou muito doente
Cantando alegremente
Tudo aquilo apalavrado
Que está tudo rimado
Perto daquela antena
Onde está aquela pequena
Com o cabelo embaraçado